Phuket – Tailândia

27 de dezembro de 2016, exatamente doze anos e um dia após o tsunami que arrasou parte do continente Asiático, meu voo aterrissava na província de Phuket na Tailândia.  Foram contabilizadas quase 200 mil mortes, incluindo, até mesmo, vítimas na costa do continente Africano. A oeste da península da Malásia, a maior ilha da Tailândia foi devastada pela onda gigante: mais de 5 mil vidas perdidas e estruturas empilhadas como se fossem feitas de papel. A ilha está totalmente reconstruída e vive ainda do turismo, mas uma placa erguida na principal e mais movimentada praia relembra e homenageia as vítimas do desastre. A natureza caprichosa segue seu curso e revela as águas calmas e esverdeadas da praia de Patong.

IMG_0245
Patong beach

Areia branca, sombra das árvores, água de coco e mar cristalino te convidam a momentos irrecusáveis de prazer. Relaxar na praia, ou praticar esportes aquáticos estão entre as várias opções da praia de Patong. Ali ao fundo, onde a areia encontra a calçada, barraquinhas com os mais variados quitutes são servidos por pessoas sorridentes que te agradecem com ambas as mãos espalmadas e unidas diante do peito, e o corpo curvando-se numa singela reverencia . Mas como não sorrir? Ainda na calçada da praia, mulheres habilidosas e de mãos pesadas oferecem a tradicional massagem tailandesa. Aos desavisados que esperam movimentos suaves enquanto vislumbram o mar a sua frente cuidado, as massagistas utilizam os pés, mãos, joelhos e cotovelos para te esmagar sem piedade. A ideia aqui é liberar a energia que está “parada”. Alongamentos profundos também fazem parte do pacote, e se sua flexibilidade é zero, meus pêsames: prepare-se para virar carne moída.

IMG_0819De barco de Phuket, o passeio dura um dia. Dezenas de ilhas, penhascos e cavernas desenham o cenário de Phang Nga Bay. Já em alto mar, uma canoa se aproxima do barco e o guia experiente e queimado de sol te convida para embarcar e explorar o que levou milhões de anos para ser esculpido. As cavernas escuras e úmidas abrigam morcegos que se escondem da luz do sol como vampiros da vida real apoiados de cabeça para baixo nas pedras sobre nossas cabeças. Fora da caverna, natureza bela e deslumbrante. Erguendo-se sobre o mar, pedras e ilhotas cobertas por vegetação formando diminutas praias. E ao som do barco recebemos a visita de IMG_0596águias, muitas delas, nos sobrevoando ao som das palmas dos turistas empolgados. Tanta beleza não poderia passar desapercebida: parte do filme 007 contra o Homem com a Pistola de Ouro de 1974 foi gravado na pequena ilha das redondezas conhecida hoje como James Bond Island. Há mais de 40 anos o lugar deixaria de ser então um pedacinho do paraíso sobre a Terra e se tornaria um enxame de turistas e ambulantes num vai e vem enlouquecido e descontrolado.

IMG_0890

IMG_1302Agora de lancha, em 40 minutos aportamos em Phi Phi Islands. Depois da areia branca e macia, densa, de textura argilosa nasce o mar verde (ou seria azul?), transparente, calmo circundado por montanhas e cenário do filme A Praia estrelado por Leonardo DiCaprio em 2000. Com menos turistas que a ilha de 007, é possível relaxar e dar um mergulho refrescante. Assim como nos personagens do filme, a vontade de ficar e montar barraca é grande, mas a vida é um filme real e precisamos zarpar. Hora de conhecer os nativos. UmIMG_1309 mergulho em mar aberto, e logo estamos rodeados de peixinhos ousados que continuam a nadar alheios a presença dos forasteiros. Multicoloridos, pequenos e não tão pequenos levam sua vida pacata sob o mar da região. Esses sim são sortudos!

 

 

IMG_0994

Em terra firme, na ilha de Phuket, cartazes anunciando torneios de Muay Thai todos os dias da semana são pregados por toda parte. Esporte nacional, a arte marcial tailandesa utiliza os pés, as mãos, os joelhos e os cotovelos com intuito de nocautear o oponente (qualquer semelhança com a massagem é mera coincidência).  Muito mais um espetáculo para turistas que um torneio propriamente dito, deixa a desejar aos verdadeiros amantes e praticantes do esporte. Uma noite regada a nocautes extraordinários (com gente voando para fora do ringue e tudo), lutas de cartas marcadas movimentando as apostas de turistas ingênuos ou somente IMG_1470embriagados, e ingressos superfaturados. Se quiser aprender mais sobre a luta, faça uma aula nas muitas academias espalhadas pela ilha, seu dinheiro será melhor investido.

 

Escrito por

Nascida na capital federal, morei nos EUA, Itália e atualmente me encontro no país mais populoso do mundo. Isso mesmo, estou morando na China, mais precisamente na cidade de Hefei. Sinta-se a vontade para procurar essa pequena cidade (para os parâmetros chineses) de mais de 7 milhões de habitantes no mapa. Sou formada em Física pela Universidade de Brasília e PhD em astrofísica pela universidade de Roma. Sempre ávida por dividir conhecimento, não somente no campo das ciências, mas também as minhas experiências pessoais , preferências literárias, etc. O leque é muito grande, então por simplicidade, digamos que gosto de debater sobre tudo e sobre nada, sobre qualquer coisa der na telha.

Um comentário em “Phuket – Tailândia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s